Brasil lança satélite com objetivo de melhorar a banda larga

O governo brasileiro lançou, por volta das 18h50 desta quinta-feira (4), o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC). Ele será usado para as comunicações, principalmente para oferta de banda larga em áreas remotas, e será integralmente controlado pelo Brasil.
O lançamento ocorreu na base de Kourou, na Guiana Francesa. O satélite foi enviado dentro do foguete Ariane 5, que também lançou ao espaço o KOREASAT-7, da operadora sul-coreana Ktsat.

Com quase seis toneladas, ele foi construído por uma empresa francesa Thales Alenia Space, contratada pela Visiona, que reúne a Embraer e a estatal Telebras. O projeto ainda envolve os ministérios da Defesa e da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações e custou R$ 2,8 bilhões. É o maior investimento do programa espacial brasileiro nesta década. O equipamento foi entregue em dezembro de 2016, em Cannes, na França.

O satélite ficará a uma distância de 36 mil quilômetros da Terra. É o primeiro a ser operado e controlado pelo governo brasileiro. Uma das funções do SGDC será melhorar a qualidade da internet de banda larga brasileira. O governo afirma que o satélite permitirá acesso à internet em todos os locais do país, sem qualquer exceção.

A outra missão do satélite tem a ver com a segurança das informações. Uma segunda banda do SGDC é permitir que as informações governamentais e da área de defesa do território nacional trafeguem de forma segura.

O lançamento, no entanto, ocorreu com bastante atraso. Em 2016, Dilma Rousseff, antes de sofrer o impeachment, garantiu que isso aconteceria ainda naquele ano, o que não se confirmou. Neste ano, o lançamento já deveria ter acontecido no dia 21 de março, mas foi atrasado por conta de uma greve dos trabalhadores da Guiana Francesa que havia começado no dia anterior e durou cerca de um mês.

Autor: Weeckd

Simplesmente simples.

Deixe uma resposta